Mundo: Futuros de grãos e soja fecham o mês em forte alta


Os mercados de ações dos EUA fecharam mistos na segunda-feira.


Todos os futuros do complexo de grãos e soja fecharam em alta na segunda-feira, apoiados por interrupções nas exportações da Rússia e da Ucrânia. Os países vizinhos do Mar Negro respondem por quase 30% do trigo global e quase 20% das exportações globais de milho.


Preocupações com a invasão afetando as exportações de óleo vegetal elevaram os futuros do complexo soja. A Rússia e a Ucrânia fornecem aproximadamente 80% das exportações globais de óleo de girassol.

O milho de março subiu 38 centavos para fechar a US$ 6,97 e meio por bushel. O trigo de março de Chicago saltou 85 centavos para fechar em US$ 9,28 bushel. O trigo de março de Kansas City subiu 67% para fechar a US$ 9,54 por bushel. O trigo de Minneapolis março saltou 36% para fechar a US$ 9,89 por bushel. A soja de março subiu 54%, fechando a US$ 16,44 por bushel. O farelo de soja de março adicionou US$ 6,60, fechando em US$ 454,90 por tonelada. O óleo de soja de março avançou 4,14 centavos para fechar a 72,89 centavos por libra-peso.

Os mercados de ações dos EUA fecharam mistos na segunda-feira, fechando um mês cheio de inflação crescente, taxas de juros em alta e invasão russa da Ucrânia. Após vários dias de combates, os ucranianos conseguiram impedir que as tropas russas reivindicassem Kiev, capital da Ucrânia. Os países ocidentais continuaram respondendo ao conflito impondo sanções financeiras à Rússia. O Dow Jones Industrial Average caiu 166,15 pontos, ou 0,49%, para fechar em 33.892,60. O índice Standard & Poor's 500 caiu 10,71 pontos, ou 0,24%, para 4.373,94 pontos. O Nasdaq Composite somou 56,78 pontos, ou 0,41%, para fechar em 13.751,40.

3 visualizações0 comentário